22:36 - 28 de maio de 2024.

Centro Cultural Cazuza recebe exposição sobre os 1...

Centro Cultural Cazuza recebe exposição sobre os 100 anos da Semana de Arte Moderna de 1922

 em Cultura

Vassouras – Uma noite memorável marcou a abertura da exposição que lembra os 100 anos da Semana de Arte Moderna, realizada pela Prefeitura de Vassouras por meio da Secretaria Municipal de Cultura. A exposição “A Semana de Arte Moderna de 1922 e seus idealizadores, três dias que mudaram a arte no Brasil” abriu as portas para Vassouras e os turistas que a cidade recebe no dia 08 de abril. A abertura foi concorrida e contou com a presença da vice-prefeita Rosi Silva, dos representantes da Academia de Letras de Vassouras, Marlos França e Jussara Almeida, turistas, visitantes e membros da comunidade vassourense. Além é claro da presença do realizador e curador da exposição, o colecionador e pesquisador Carlos Barroso, um dos maiores colecionadores de arquitetura modernista do Brasil. Fundador do Instituto Memória da Arquitetura Brasileira (IMEARB) ele é também dono de uma propriedade muito peculiar no município: a casa de campo do arquiteto Oscar Niemeyer, verdadeira preciosidade da história da arquitetura modernista no Brasil.
A primeira a falar na cerimônia de abertura foi a diretora do Centro Cultural Cazuza, Thatiana Santiago, servidora de carreira da Prefeitura Municipal de Vassouras. Thatiana deu as boas vindas aos presentes e ressaltou a facilidade de se trabalhar com o curador e como a montagem da exposição fluiu com sinergia. A vice-prefeita Rosi enalteceu o trabalho da Secretária de Cultura Angela Maria e do subsecretário José Luiz Júnior, bem como o trabalho de toda a equipe da cultura. Por sua vez, o subsecretário José Luiz Júnior agradeceu a autonomia e a confiança do prefeito Severino e da vice Rosi, atribuindo a eles os bons rumos que a cultura vassourense têm tomado nos últimos anos. José Luiz agradeceu também ao Carlos Barroso por ter trazido um evento como esse pra Vassouras. “Fiquei muito feliz com a possibilidade de realizar um evento como esse no lugar onde eu nasci. Ver o Centro Cultural Cazuza cheio não tem preço. Foi um dia muito especial. Mais do que um evento para turistas e visitantes, esse foi um evento construído para a comunidade vassourense. Queremos que cada vez mais o vassourense se aproprie desse patrimônio cultural e desse equipamento cultural e turístico que é dele”, falou José Luiz. A secretária de Cultura Angela Maria foi a última a falar antes do curador Carlos Barroso e numa fala emocionada disse que sempre lutou e continua lutando para que o Centro Cultural Cazuza seja democrático e que amplie o acesso do vassourense não só como espectador mas também como fazedor e protagonista da cultura. “As portas aqui no Centro Cultural Cazuza sempre estiveram abertas para o vassourense e vão continuar assim. Agradeço muito à diretora do Centro Cultural, Thatiana Santiago por me ajudar a cumprir essa missão”, falou Angela.
O último a discursar foi o curador Carlos Barroso que fez uma importante explanação sobre o que foi a Semana de Arte Moderna de 1922 e o que ela representou para a cultura brasileira, lembrando que a exposição a partir da concepção foi seguindo caminhos próprios e inesperados mas que colaboraram para o formato em que ela chegou. Agradeceu principalmente ao subsecretário de cultura José Luiz Júnior por tê-lo convidado para a construção da exposição e da parceria com o município de Vassouras.
Após as falas explicativas a abertura passou para a parte artística. Três manifestações lindíssimas abrilhantaram o evento. As performances apresentadas pela pianista Paula Ibrahim, pelo violonista Tiago Meireles e pela cordelista e poeta Jussara Almeida. Paula e Tiago apresentaram peças do maestro Heitor Villa Lobos, ele também um modernista. Apresentaram a “Ária Cantilena” (Bachianas nº5) e o “Trenzinho do Caipira” (Bachianas nº2) respectivamente. Já Jussara recitou dois poemas. Um de Mário de Andrade e outro de Manuel Bandeira, dois ícones da semana de arte moderna de 1922. As três performances fizeram um imenso sucesso e emocionaram o público presente.
A exposição que estará em cartaz até o dia 01 de maio conta com painéis explicativos da Semana de 1922 e diversas gravuras originais do pintor modernista Di Cavalcanti, um dos organizadores da Semana de Arte Moderna de 1922. O Centro Cultural Cazuza funciona de segunda à sexta de 09 às 17 horas e aos sábados e domingos de 10 às 16 horas. O Centro Cultural fica localizado bem no centro histórico de Vassouras, na lateral da Praça Barão de Campo Belo na rua Custódio Guimarães, n-65. Mais informações podem ser adquiridas pelo telefone (24) 2471-2765.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também