10:18 - 27 de maio de 2024.

Estudantes da rede estadual de ensino conquistam m...

Estudantes da rede estadual de ensino conquistam medalhas de bronze em Olimpíada Internacional de Matemática nos EUA

Jovens são recebidos no desembarque no Rio com cartazes e muita festa

O time de estudantes do Rio de Janeiro que participou da Olimpíada Internacional de Matemática em Nova Iorque, nos Estados Unidos, tem muitos motivos para comemorar: os alunos acabam de conquistar três medalhas de bronze em solo americano. Eles desembarcaram no aeroporto internacional no domingo, dia 16, com várias histórias para compartilhar com suas famílias e colegas da rede estadual de ensino.

A Secretaria de Estado Educação do Rio de Janeiro, ao lado de familiares e amigos  recebeu os medalhistas com cartazes, com frases como “Sejam bem-vindos craques da Matemática”, “Parabéns medalhistas da Olimpíada Internacional de Matemática,” entre outras.

 

“A conquista não foi do Colégio Estadual Marechal Zenóbio da Costa, mas da Rede Estadual de Educação. Esperamos que, com os resultados apresentados, possamos cada vez mais impactar os alunos. Mostrando que, através da preparação e do empenho podemos chegar em lugares considerados como inatingíveis. A vitória é da Educação pública e da Baixada Fluminense”, afirmou a diretora-geral do colégio Elaine Cândido

Eduardo Barcellos, Gabriela Tavares, Gabriel Miranda, Luísa Costa, Yasmin Caldas e Rafael Lopes, do Colégio Estadual Marechal Zenóbio da Costa, em Nilópolis, Baixada Fluminense, disputaram o torneio com jovens de 25 países, e se classificaram para a final do torneio. Eles trazem para casa três medalhas como lembrança de uma experiência incrível. E todos dedicam à vitória aos professores de matemática Fernando Rocha e Aline de Souza pelo trabalho realizado com o projeto Sala de Aula Invertida, com metodologia de aprendizagem de matemática baseada em desafios, e à diretora-geral Elaine Cândido.

“Ganhar esta medalha para o Brasil é simplesmente incrível! Isso prova que nenhum sonho é impossível, já que sempre tive muita dificuldade em Matemática. O projeto me ajudou a enxergar que eu sou capaz. Se eu consigo, você também consegue!”, disse Yasmin Caldas, aluna da 1ª série do Ensino Médio e filha de professora de Português da rede estadual de ensino, que conquistou a medalha de bronze na categoria IV.

Para Elaine Cândido, diretora-geral do colégio, essa conquista serve para demonstrar o valor do ensino público no estado do Rio de Janeiro: “É uma grande emoção! A medalha é muito mais do que um título, é uma vitória da educação pública. É a personificação da realização de sonhos, mostrando que determinação e empenho são capazes de romper barreiras. Somos gratos à Seeduc-RJ e ao Governo do Estado”, comemorou a diretora.

Extremamente emocionada com a conquista, a secretária de Estado de Educação Roberta Barreto, elogiou a garra e a determinação dos jovens: “Vale muito a pena investir na educação. Estamos muito orgulhosos destes atletas do saber. Que esta conquista incentive outros jovens da nossa rede”.

 

Brasil na Olimpíada Internacional de Matemática

A Olimpíada Internacional de Matemática acontece todo ano e é destinada a alunos do Ensino Médio. A competição é a mais antiga das olimpíadas internacionais de Ciências. O Brasil participa da disputa desde 1979. Em 44 anos, o país conquistou 12 medalhas.

O Colégio Estadual Marechal Zenóbio tem bom desempenho em Olimpíadas. Em competições nacionais e internacionais de matemática, a unidade escolar é reconhecida pelo alto desempenho dos alunos do projeto da Sala de Aula Invertida intitulado SICMA MATHEMA.

“Desenvolver projetos de olimpíadas torna-se uma ferramenta importante de ascensão social no Brasil para alunos de escolas públicas. Para esses jovens medalhistas, a recompensa é ainda mais tangível. Os resultados podem garantir aos competidores vagas em universidades de ponta do país, sem a necessidade de concorrer em vestibulares ou no Enem. Com essas pequenas vitórias, aumenta o propósito desses alunos. Hoje, temos alunos pesquisadores espalhados pelo mundo e também alunos bem-sucedidos em suas carreiras aqui no Brasil”, afirma o professor Fernando Rocha, idealizador do projeto.

 

Equipe tem retrospecto vencedor em competições nacionais e internacionais

Integrantes da equipe, Luísa Costa, 16 anos, e Gabriel Miranda de 17, têm um grande histórico de conquistas na matemática. A jovem foi uma das competidoras que ganharam medalha de ouro na Olimpíada de Matemática Sem Fronteiras (2022); prata na Olimpíada Brasileira das Escolas Públicas (OBMEP) em 2022 e bronze na prova Canguru (2023). Já Gabriel, além da medalha conquistada em Nova Iorque, também tem, no seu currículo, ouro na Olimpíada de Matemática Sem Fronteiras (2022) e menção honrosa na (OBMEP) em 2022.

 

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também