22:51 - 28 de maio de 2024.

Frente Parlamentar do Complexo Econômico-Industria...

Frente Parlamentar do Complexo Econômico-Industrial da Saúde é instalada na Alerj

 em Brasil

Primeira ação da Frente foi protocolar um documento entregue à Caravana Federativa, que está no Rio de Janeiro, solicitando a integração formal dos deputados ao grupo de trabalho criado no governo federal para discutir o tema em nível nacional

 

Foi instalada na Alerj a Frente Parlamentar do Complexo Econômico-Industrial da Saúde no Estado do Rio de Janeiro. A deputada Célia Jordão (PL) sugeriu a criação da Frente como meio de garantir maior planejamento e integração dos sistemas produtivos e de serviços da Saúde, tornando o setor, de fato, um indutor do crescimento e gerador de emprego e renda em níveis estadual e nacional.

 

“A Caravana Federativa esteve no Rio de Janeiro e protocolei um documento solicitando que os deputados da Frente Parlamentar participem dos debates do grupo de trabalho criado no governo federal para discutir este tema em nível nacional. Paralelamente, o Governo do Estado assumiu o compromisso de trabalhar por avanços na área industrial da Saúde. Reunimos deputadas e deputados com experiências amplas e diversas neste setor e queremos nortear políticas que ajudem a colocar nosso Estado como protagonista desse modelo de desenvolvimento”, ressaltou Célia Jordão, que coordena a Frente Parlamentar da Saúde.

 

O Complexo Econômico Industrial da Saúde reúne toda a base produtiva envolvida na prestação de serviços, promoção e vigilância em saúde, o segmento secundário da economia, como indústrias de base química, biotecnológica, mecânica e de materiais, Frente Parlamentar do Complexo Econômico-Industrial da Saúde é instalada na Alerj e o terciário, referente aos serviços prestados nos estabelecimentos de saúde, mobilizando uma série de tecnologias e o setor de inovação.

 

Nos anos 70, cerca de 30% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil vinha dos setores farmacêutico e farmoquímico. Hoje, esse número é de apenas 11% do PIB. O Rio de Janeiro apresenta um cenário favorável, com importantes centros de pesquisa, como a Fiocruz, universidades públicas renomadas, além de abrigar 34 das 80 unidades hospitalares federais do país. “Acho que devemos fazer um exercício de antecipar a provável aprovação da Reforma Tributária e, com o fim da guerra fiscal, pensar quais vantagens competitivas vamos precisar incentivar para tornar o Estado do Rio de Janeiro, mais uma vez, atraente para este setor. Precisamos antecipar essa questão e construir um arcabouço legal e estrutural para criar condições de ser, na próxima década, um grande polo atrativo para o setor, já que temos grandes condições para isso”, ressaltou o deputado Tande Vieira (PP), que é presidente da Comissão de Saúde da Alerj.

 

Além da deputada Célia Jordão, fazem parte do corpo diretivo da Frente Parlamentar os deputados Tande Vieira (PP), que atuará como vice-coordenador; a deputada Elika Takimoto (PT), eleita secretária geral; e os deputados Martha Rocha (PDT), Anderson Moraes (PL), Renata Souza (PSOL) e Dani Balbi (PCdoB), que atuarão como membros efetivos.

 

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também