22:13 - 28 de maio de 2024.

Os primeiros passos para a reconstrução do quase c...

Os primeiros passos para a reconstrução do quase centenário Fluminense de Vassouras

 em Cultura

• Novo presidente investe na realização de bailes, busca apoio de “amigos do Flu” e anistia sócios para reaproxima-los do clube

Eleito presidente depois de uma longa vacância administrativa no mais tradicional clube de Vassouras, Marcelo Castilho e a nova diretoria do Fluminense Futebol Clube começam a reestruturar o clube. A nova direção Tricolor atua em três frentes: organizar eventos no clube em busca de um público que por décadas se acostumar a frequentar a sede social da Rua Abreu César, fazer reformas urgentes como a do teto do clube e buscar a reaproximação com os sócios. Preocupado com uma infiltração no telhado da sede social, a nova gestão já começou as obras. Até o final do ano, o clube terá realizado quatro eventos, entre shows de forró, pagode, música eletrônica e flash back. A ideia é, a partir destas atividades, entender que tipo de evento pode levar o vassourense de volta ao clube. “Foram muitos anos com o clube parado, mas o Fluminense é muito bem localizado e é um endereço que o vassourense se acostumou a frequentar. Precisamos entender que eventos pode trazer o vassourense de volta ao Flu”, comenta Marcelo Castilho. Para 2022, uma das ideias é fortalecer o calendário de eventos no clube. A nova diretoria fez um balanço e descobriu que o clube tem 840 sócios. Como o clube há anos não oferece nada aos sócios tricolores, a nova gestão resolveu anistialos. “Não era oferecido nada ao sócio, por isso decidimos anistia-los. As cobranças voltam a partir de janeiro do ano que vem”, informa Castilho. A direção decidiu que a mensalidade custará 35 reais e que o título de sócio-proprietário vale 1 mil e 200 reais. Os sócios perdem o título quando a dívida superar o valor do título. Sócios interessados em regularizar a situação no Flu devem comparecer ao clube às quartas ou sábados, dias em que a secretaria funciona. Outras informações, sempre quarta ou sábado, pelo telefone 2471 1841. Marcelo Castilho procurou pessoalmente pessoas interessadas na recuperação do Tricolor e criou, com elas, o grupo Amigos do Fluminense. Eles vão apoiar a reestruturação doando de 100 a 200 reais mensais. Os interessados em participar desta reconstrução podem entrar em contato com o presidente a partir do telefone (24) 99263-5854. Além dos eventos de final de semana, a nova diretoria busca movimentar o clube no dia a dia. Assim, o Fluminense está recebendo aulas de rumba às segundas e quartas-feiras. O Fluminense busca ainda parcerias para reativar o futebol do Tricolor, e aceitam propostas de agentes culturais que vejam no clube um espaço para a realização de suas atividades. A direção espera ainda recuperar o bar do clube, investindo em novos equipamentos, como freezers e geladeiras, todos desgastados pelo tempo. Nas próximas semanas, a recuperação do Fluminense terá um momento simbólico importante. O escudo do Tricolor, que há anos desapareceu da fachada do clube, foi encontrado na sede social e deve voltar à fachada da Rua Abreu César. A diretoria também busca parcerias para realizar obras no terreno do Flu na Rua do Bingue. Para conseguir recursos, o clube deve utilizar parte do terreno para a construção de baias, que seriam alugadas, viabilizando a instalação de um campo de futebol do clube no terreno.

Comentários

2 respostas

  1. Espera-se que a reconstrução do Fluminense não busque apenas a mera realização de eventos, mas, sobretudo, a recuperação física do prédio, com tratamento acústico adequado à localização do clube, permitindo assim, o convívio respeitoso entre os moradores da região, administradores e seus frequentadores, considerando que a realização do último evento impediu que moradores dormissem. Dormir na Nilo Peçanha em dia de evento no Fluminense é tarefa impossível. É perturbador.
    Vassouras é uma das cidades mais barulhentas que já conheci. Nós, que temos vínculos com o município, temos a obrigação não só de cumprir a legislação. Temos o dever de urbanidade, de respeitar o outro e exigirmos de nós mesmos uma conduta responsável quando nos comprometemos a reconstruir uma atividade em nosso município.
    Assim ganhamos o apoio da população.

    1. Em tese, concordo em gênero, número e grau. Na prática, o clube, quase centenário, cai aos pedaços e tem problemas no piso, no telhado, nas instalações. Um patrimônio da cidade que chegou muito próximo de ser extinto. Penso que a preocupação com o clube deve ir além da preocupação, justa, com o seu isolamento acústico, necessário, muito necessário. O Fluminense Futebol Clube é o resultado do esforço de gerações inteiras de vassourenses que lá em 1929 fizeram dele o seu primeiro clube de futebol. Uma cidade histórica deveria debater como garantir adequá-lo sem inviabilizar a sua existência, lembrando sempre que o Tricolor está instalado na Abreu Cézar há muitas, muitas décadas. Viva Vassouras. Viva o Fluminense de Vassouras!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também