12:33 - 24 de maio de 2024.

Serra de Paracambi, RJ 127 segue interditada

Serra de Paracambi, RJ 127 segue interditada

 em Região

DER realiza obras no trecho, mas sem data para concluir os serviços e liberar via; trabalhadores que seguem destino para a Baixada Fluminense são os que mais sofrem com a interdição da Rodovia

 

O drama diário enfrentado por trabalhadores que precisam se deslocar entre Mendes e Paulo de Frontin, para o Rio de Janeiro, está longe de acabar. Desde a interdição da Rodovia 127 – Mendes a Paracambi – por conta das chuvas que castigaram a região nas últimas semanas, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RJ), vem realizando obras no local, mas sem previsão para concluir os serviços.

De acordo com a Assessoria de Imprensa do DER, equipes do órgão permanecem no local realizando contenção de encostas, drenagem e reconstrução da pavimentação no trecho. Ainda de acordo com o DER, uma rota alternativa está sendo viabilizada até que seja concluída a reconstrução da via desativada em Paulo de Frontin. Enquanto a via segue interditada, motoristas de Mendes e Paulo de Frontin são obrigados a seguir para o Rio de Janeiro, por rotas alternativas – Serra das Araras ou Miguel Pereira – aumentando o tempo da viagem em até 80 minutos diários.

O presidente da Câmara de Mendes, Fernando Alves Fonseca, pré-candidato a prefeito pelo União Brasil, relatou o drama dos trabalhadores que percorrem diariamente o trecho entre a Baixada Fluminense e Mendes. A nova rota aumenta o custo do trajeto em até 50%, sem contar o tempo gasto, acrescidos em cerca de 1 hora diária, entre idas e vindas. “Está muito difícil e caro para as pessoas que trabalham entre essas duas localidades. Temos relatos de servidores públicos, por exemplo, que afirmam estar passando por dificuldades financeiras por causa desse gasto a mais” – ressaltou Fernando.

Alternativa 

 

Além da reativação do trecho, prefeitos da região desejam a retomada da circulação do Trem Barrinha, levando passageiros de Barra do Piraí à Japeri, na Baixada Fluminense. O prefeito de Engenheiro Paulo de Frontin, Maneko Artemenko em vídeo postado em suas redes sociais dia 13, também relata o drama dos trabalhadores da região, principalmente de Mendes e Engenheiro Paulo de Frontin, que estão com dificuldades de chegar a Baixada Fluminense e à cidade do Rio de Janeiro. Ainda segundo o prefeito, o governo estadual autorizou a circulação de linhas alternativas, como a que liga Engenheiro Paulo de Frontin à Japeri. A viagem, no entanto, é muito mais longa e o preço da passagem inacessível para a maior parte dos trabalhadores.

 

O Trem Barrinha, apelido dado ao trem de passageiros que fazia a ligação entre Barra do Piraí e Japeri, circulou até 1996, quando um grave acidente criou as condições favoráveis para que a linha fosse extinta. De lá para cá, várias vezes a sociedade se mobilizou pedindo a volta do trem, que garantia o acesso de moradores da região à Baixada Fluminense com rapidez e baixo custo. O prefeito também garantiu que o estado abrirá uma estrada entre a RJ 129, que liga o centro de Frontin aos distritos de Morro Azul e Sacra Família do Tinguá, e a RJ 125 (Miguel Pereira x Japeri). A ideia é facilitar o acesso de moradores de Paulo de Frontin, Mendes e Vassouras a Baixada Fluminense enquanto a RJ 127 seguir impedida.

 

 

Imagem: Instagram @ocara.dodrone

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também