12:35 - 24 de maio de 2024.

Desembargador Gabriel Zéfiro cita o caso do deputa...

Desembargador Gabriel Zéfiro cita o caso do deputado André Correa como exemplo de erro judiciário

 em Política

“O André foi vítima de um erro judiciário bizarro”, afirmou o magistrado

 

O homenageado era desembargador Gabriel Zéfiro mas quem se emocionou no plenário da Alerj foi o deputado André Correa. Ao usar a palavra em agradecimento ao deputado Chico Machado por ter-lhe concedido a medalha Tiradentes, o magistrado fez questão de citar o caso de Correa como exemplo de erro judiciário.

– Quero pinçar o caso do André Correa. Ele me ensinou como a justiça humana pode errar e como Deus pode consertar o erro. O André foi vítima de um erro judiciário bizarro. Ele já foi indenizado em parte. Indenização que não resolve grande coisa. E Deus, foi o Pai Eterno, que o fez enfrentar de cabeça erguida junto com a família. E hoje ele está aqui eleito. Tem o futuro político que quiser – afirmou, levando às lágrimas o deputado que, calado, assistia com atenção à fala do desembargador.

André Correa foi uma dos alvos  da Operação Furna da Onça, em 2018. Preso arbitrariamente por determinação do Tribunal Regional da 2ª Região em ação policial nos moldes da Lava Jato, permaneceu no xadrez de Bangu 8 por mais de um ano sem sequer ter tido a possibilidade de se defender. À época, Sérgio Moro encarnava um estranho  novo padrão moral do judiciário brasileiro  que mimetizava em vários estados o festival de  abusos e agressões ao direito de defesa dos acusados.

Corrêa foi preso porque os procuradores do Ministério Público Federal alegaram que ele fez movimentação bancária de R$ 34.161.208,00 em sua conta – valor incompatível com os ganhos do parlamentar.

No entanto, a defesa de Corrêa provou  que o valor foi registrado de forma equivocada por uma operadora de caixa do Itaú localizado na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

 

Fonte: Blog do Ricardo Bruno

 

Assista aqui:

Comentários

Uma resposta

  1. Meu amigo André Corrêa, não merecia tamanha injustiça, nem ele e nem ninguém merece injustiça, mas veja se fizeram com ele um homem público, amigo, honesto, bem esclarecido e muitas outras qualidades se eu for escrever o texto ficará interminável. Quando ocorreu esta injustiça minha ex mulher ligou para mim e disse: Você me pediu voto para André Corrêa e me fez votar num ladrão e eu respondi na hora: Quero ver meu filho morto se André Corrêa tiver alguma culpa. Confio em André Corrêa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também