09:56 - 27 de maio de 2024.

Serralheiro aposenta após matéria da TRIBUNA DO I...

Serralheiro aposenta após matéria da TRIBUNA DO INTERIOR

 em Vassouras

Família e amigos comemoram aposentadoria de Murilo e afirmam que divulgação foi fundamental

 

O sonho da aposentadoria que virou realidade após matéria publicada na TRIBUNA DO INTERIOR ganhou elogios de diversos setores e, lógico, de familiares. A história é sobre a maratona do serralheiro Murilo Pereira Gorito, 70 anos, morador do bairro Mancusi, que desde 2017 lutava para obter a aposentadoria por tempo de serviço junto ao INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social).
“Era um direito do meu pai que o INSS não reconhecia e todos ficavam indignados pois pagamos a previdência na expectativa de ter um ganho garantido com o avançar da idade. Víamos meu pai envelhecendo com problemas de saúde sem poder ter a segurança da aposentadoria. Mas tudo mudou em questão de dias, quando o jornal publicou matéria contando a história dele”, comemorou Flávia Aparecida da Silva Gorito, filha de Murilo.
Moradora do Madruga, Flávia que trabalha como autônoma contou que a família vibrou com a vitória do pai na luta contra o INSS. Ela considerou que a repercussão da matéria sobre a história de Murilo foi fundamental para sensibilizar o órgão a avaliar com maior rigor o processo do serralheiro. E que o sucesso do caso exposto pela TRIBUNA foi tão grande que advogados de diversas cidades ligaram pedindo para defender o caso. “Foi em questão de dias e todo mundo comentava o caso do meu pai e muitos advogados se colocaram à disposição para defendê-lo, pois sabiam que era um direito garantido que o INSS se recusava a aceitar”, ressaltou a moça.
 Ao lado da filha, Murilo Gorito também não conteve a alegria de ver o sonho da aposentadoria se tornar realidade. “Trabalhei duro para chegar à essa idade com um pouco mais de tranquilidade e uma carga horária de trabalho mais leve e agora posso ficar mais tranquilo”, contou Murilo, afirmando que para sobreviver antes da aposentadoria trabalhava cerca de 9 horas diárias, que agora serão reduzidas. “Graças à TRIBUNA poderei ter uma qualidade de vida um pouco melhor”, disse o serralheiro emocionado pela aposentadoria.
ENTENDA O CASO 
 O INSS não reconhecia o pagamento e afirmava que não houve contribuições trabalhistas feitas no período entre 5 de maio de 1969 a 30 de junho de 1980 que estavam no histórico de trabalho de Murilo. No entanto, esse mesmo período havia sido reconhecido pelo Ministério Público Federal, que determinou em ação a incorporção das datas ao somatório para aposentadoria por contribuição, computando ao processo mais 11 anos, 9 meses e 7 dias. Apesar desse parecer da Justiça Federal, o serralheiro continuava sem uma decisão sobre o assunto.
Para agravar ainda mais a situação, devido a uma das funções exercidas em trabalho como serralheiro, Murilo passou a sofrer com dores na coluna que impedem o idoso de trabalhar e garantir seu sustento.
A solução do impasse entre Murilo e o INSS foi resolvida após matéria da TRIBUNA. O caso passou a ser acompanhado pelo Programa DPU Para Todos, uma parceria entre a Defensoria Pública da União e a Prefeitura de Vassouras, que em poucos dias concedeu a aposentadoria ao serralheiro. “Agora posso viver com um pouco mais de dignidade e ter uma qualidade de vida mais tranquila”, finalizou o aposentado.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também