13:24 - 24 de maio de 2024.

Valença é o grande destaque do Mundial do Queijo A...

Valença é o grande destaque do Mundial do Queijo Artesanal em São Paulo

 em Região

Deputado estadual André Corrêa incentiva o setor produtivo de laticínios e queijos artesanais, através de leis de sua autoria

 

Dez queijeiros valencianos participaram do 3º Mundial de Queijos, que foi realizado entre os dias 11 e 14 de abril, na cidade de São Paulo. Valença foi representada por 10 queijarias e todas conquistaram medalha, totalizando 28, incluindo quatro Super Ouros.

 

A participação incluiu degustações, palestras e participação de mesas redondas. Com apoio do Sebrae-RJ, os queijeiros valencianos fizeram história em São Paulo. O Sebrae viabilizou a caravana, fornecendo transporte e hospedagem, além de estande para as dez queijarias de Valença.

 

INCENTIVO AO PRODUTOR

O deputado André Corrêa (PP) comemorou o resultado obtido pelos produtores valencianos: “Como autor da Lei do queijo artesanal e do projeto que reconhece o queijo artesanal valenciano como patrimônio cultural do estado, com muito orgulho recebo a notícia que a minha querida Valença é a cidade brasileira mais premiada do Mundial do Queijo realizado em São Paulo”, destacou o deputado, que constatou: “No final, Valença conquistou mais premiações do que quase todos os estados inteiros e isso é motivo de muita alegria”, destacou. Foram quase cem produtos, dentre doces, iogurtes, manteigas e queijos valencianos, de diversas espécies, tais como vaca, búfala e cabra.

 

Valença tem se destacado no cenário nacional e internacional do queijo artesanal, sendo, atualmente, a cidade do estado do Rio de Janeiro com mais medalhas em torneios nacionais e internacionais, se tornando, assim, a capital do queijo fluminense.

 

Para o mestre queijeiro Rodrigo do Valle, dono da Queijaria Du Valle, a mais premiada do estado, o momento é reflexo da paixão e união dos produtores que conseguiram despertar os olhares de importantes atores, tais como Governo do Estado, Emater, Sebrae e Prefeitura. Rodrigo destaca a participação da Secretaria Estadual de Turismo que, além de colocar a Rota do Queijo Valenciano como produto turístico do estado, implementou a APL do Queijo do Vale do Café. Para ele, a Rota do Queijo foi o ator transformador principal de todo o movimento queijeiro. A participação do estado, através da Secretaria de Turismo, tem impulsionado as queijarias a entregarem turismo de experiências.

 

Já Fabricio Vieira, dono do Capril do Lago e do Bio Leite Brasil, destaca também a efetiva participação da Assembleia Legislativa do Estado, em especial o deputado André Correia que implementou importantes leis, como a Lei do Queijo Artesanal, além do projeto que faz do queijo artesanal valenciano patrimônio cultural e imaterial do estado do Rio de Janeiro.

 

Recentemente, o queijo Caprinus de sua autoria entrou para a lista dos melhores do mundo no Mondial du Fromage, em Tours, na França, sendo o único não europeu dessa seleta lista.  A veterinária Samara Gatto, mestre queijeira e proprietária do Ateliê do Queijo, destaca que Valença tem história com o queijo, tendo sido implementada na cidade a primeira queijaria do estado.

 

E foi em Valença, também, onde surgiu o queijo prato. Foi atrás desse terroir que Eduardo e Mônica, da queijaria Latte Buono, se instalaram na cidade e produzem queijos e outros láticos de leite de búfala. “Valença tem algo especial, talvez por conta desse vale, dessas matas, não sei explicar, porém aqui encontramos o que buscávamos”.

 

PREMIAÇÕES HISTÓRICAS

 

O mestre queijeiro Rodrigo do Valle, dono da Queijaria Du Valle, conquistou no total oito medalhas, incluindo dois Super Ouros, com o Doce de Leite Du Valle, considerado o melhor do mundo, e com o Queijo Du Valle do Café.            Já Fabricio Vieira, dono do Capril do Lago e do Bio Leite Brasil, ganhou seis medalhas, inclusive Ouro, com queijo Caprinus do Lago Seis Meses.

 

A veterinária Kathryn da Fazenda Conceição, que produz queijos especiais com gado a pasto, conquista Super Ouro, com Camboatá da Fazenda Conceição e três bronzes. Samara Gatto, mestra queijeira e proprietária do Ateliê do Queijo, conquistou Super Ouro, com Doce de Leite Tradicional e mais duas medalhas.

 

O casal Eduardo e Mônica Lo’Buono, da queijaria Latte Buono, ganharam medalha de ouro com Iogurte de leite de búfala. Queijaria Pontelino, do veterinário Carlos Gramático, conquistou uma medalha de ouro, com Queijo do Reino. O Vale do Vento, do jovem casal Lucas e Isadora, que se destaca com queijos de vaca, chegou a duas medalhas, com Doce de Leite com Café e Queijo Maturado Neblina.

 

O Laticínio Santa Isabel, da mestra queijeira Rebeca, filha da proprietária da Fazenda São Germano, Romália Groetaers, ganhou duas medalhas, uma de bronze no Queijo Minas Padrão, e uma de prata no Queijo Curado Roma. Rebeca foi a mais jovem participante do evento, com 22 anos, sendo recém-formada pelo renomado Instituto de Laticínios Cândido Tostes (Juiz de Fora, MG). O tradicional Laticínio Marquês de Valença, um bronze, com Queijo Padrão.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também