08:45 - 23 de julho de 2024.

Valença receberá shows gratuitos de Maria Gadú

Valença receberá shows gratuitos de Maria Gadú

 em Cultura

Festival Sesc de Inverno 2024 tem ainda apresentação do grupo Casuarina e programação instigante e plural com música, teatro, dança, literatura, cinema, circo e artes visuais

 

Vem aí o 22º Festival Sesc de Inverno! Considerado o maior evento cultural multilinguagem do país, o Festival será realizado de 12 a 28 de julho em 24 localidades do estado do Rio de Janeiro – a maior edição de todos os tempos. Valença é uma das cidades contempladas.

Com programação gratuita o evento tem as apresentações do grupo de samba Casuarina (12/07), composto por Gabriel Azevedo, João Fernando e Rafael Freire; e Maria Gadú (13/07), na Praça Visconde do Rio Preto, no Jardim de Cima, Centro, às 23h.

Com seus 20 anos de carreira, Maria Gadú, apresenta regravações de canções brasileiras que marcaram sua trajetória, homenageando grandes nomes da MPB, como Caetano Veloso, Gonzaguinha, Marisa Monte, Rita Lee e Renato Russo.

Já o grupo de samba Casuarina (12/07), vem se destacando internacionalmente, e recebe nesta apresentação como convidada Marina Iris, voz do samba atual, que fundou o coletivo É Preta.

O evento não para: com música, teatro, dança, literatura, cinema, circo e artes visuais (confira abaixo todas as localidades), o
Festival Sesc de Inverno 2024, realizado com o apoio das prefeituras e dos sindicatos varejistas locais, promete atrair público de toda a região.

MAIS DIVERSÃO

O Teatro Sesc Rosinha de Valença também é local de diversão com muita música do “Circo da Silva – Funil” (20/07, às 15h, classificação livre), banda de sopros e percussão que interpreta o repertório autoral do disco “Funil” com ritmos clássicos do picadeiro como polcas e valsas, além de números exóticos e tropicais; e “Para todos os únicos” (24/07, às 19h, classificação livre), com participação especial de Herminio Bello de Carvalho, o grupo Lemuriano traz um formato novo de show, com poemas de seus livros e canções autorais que se interligam, criando uma narrativa profunda e leve ao mesmo tempo.

O local ainda apresentará o stand up comedy “Como é que pode?”, de Gabriel Louchard (17/07, às 19h, classificação etária de 12 anos), com esquetes de humor, vídeos e números de mágica, a peça brinca com diversas situações com as quais nos deparamos todos os dias; a peça “Caixa de Ferramentas” (13/07, às 15h, classificação livre), com enorme presença musical, esta peça difunde para o público infantil a mensagem do respeito mútuo entre pessoas e grupos sociais; o Cine Orquestra Soundpainting Rio: “Um Homem com uma Câmera” (18/07, às 19h, classificação etária de 10 anos), exibição performática do cinema mudo reimaginada em uma sessão única com trilhas sonora e musical criadas em uma performance ao vivo, unindo grandes clássicos da sétima arte com a técnica contemporânea; e o espetáculo circense “Vocês estão prontos para o rock ’n’ roll?” (26/07, às 19h, classificação etária de 14 anos), mistura de duas linguagens, a palhaçaria e o punk rock, que essencialmente subvertem a ordem e instauram outra visão do mundo e resulta numa potente comunicação entre artistas e plateia.

A cada edição, o Festival traz um tema para reflexão, que é encontrado na identidade visual e na programação artística. Este ano o conceito do evento celebra a multiplicidade do Brasil, representada pelo acróstico “P-L-U-R-A-L”, que busca resumir em seis outras palavras a diversidade cultural do país: P, de povos, L, de lugares, U, de união, R, de raízes, A, de artes e L, de linguagens.

O conceito é baseado em pilares como o (re)conhecimento das raízes e tradições brasileiras; a conexão das singularidades, hábitos e costumes; a construção da identidade do país; a valorização dos territórios e orgulho de pertencer; a troca de experiências e saberes; a vivência da pluralidade do Brasil em 24 localidades do estado; e, por fim, a celebração da diversidade cultural brasileira.

Esse conceito traduz a essência do festival: um evento para todos os públicos, que valoriza a diversidade cultural e a inclusão, e que está atingindo um número cada vez maior de pessoas, em diversas localidades do estado. O Festival Sesc de Inverno promove a interação entre artistas e público e a reunião de relevantes artistas da cena nacional. A curadoria busca valorizar experiências e práticas culturais atentas a essa pluralidade. A programação completa será divulgada, em breve, em https://festivalsescdeinverno.com.br/.

FESTIVAL SESC

“O 22º Festival Sesc de Inverno exalta a pluralidade, a diversidade cultural e a inclusão, homenageando as raízes do povo brasileiro com a maior edição de todos os tempos. Tenho certeza de que o Festival representará uma grande catarse da nossa cultura, através de vertentes como a música, a arte, a dança, o teatro, o cinema e tantas outras expressões artísticas, que nos enriquecem culturalmente e reafirmam a força do Sesc RJ em transformar a vida de tantas pessoas”, comenta Antonio Florencio de Queiroz Junior, presidente do Sistema Fecomércio RJ.

Uma das novidades deste ano é a volta do projeto Boca Suja, no qual poemas de grandes nomes da poesia nacional são impressos em guardanapos e distribuídos durante a programação do Festival. Em 2024, a homenageada é a poetisa e escritora de obras infanto-juvenis Roseana Murray, que recentemente se recuperou de um episódio de violência em Saquarema e está pronta para continuar presenteando os leitores com muitas histórias. “Viver é o milagre que nos guia” é uma das frases escritas pela autora em suas redes sociais.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também